Você sabe escolher qual bichinho se adapta melhor ao seu estilo de vida e ao que você espera de um animalzinho de estimação?

Para quem tem e cuida de um cão pode parecer absurdo, mas é cada vez maior o número de pessoas que compram ou adotam um cachorro e depois o abandonam. (como é o caso dos animais anunciados aqui no site Adote Bicho. A maioria um dia teve um dono, que não soube dar valor à sua vida e seu amor incondicional e o abandonou!)

Segundo pesquisa do Instituto de Proteção aos Animais do Brasil (IPAB), o Brasil possui 5 milhões de animais de estimação. Só na cidade de São Paulo, existe 1,3 milhão de cães, o equivalente a um por oito habitantes. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para controle do risco de doenças e ataques é a de um cão para cada dez habitantes. É difícil precisar quantos animais são abandonados todos os dias. Ainda de acordo com dados do IPAB, 50% dos animais abandonados são de raça, como poodle, cocker spaniel, pastor alemão, rottweiler e fila, que estão entre as que têm maior índice de rejeição.

A veterinária Fabiana Simões Valverde diz que é muito comum pessoas que, ao enfrentarem algum contratempo com o cão, querem 'devolver' o animal. Os motivos são diversos: muita bagunça em casa, aumento das despesas por causa de rações e cuidados com o animal, doença, velhice, mudança. Fabiana sabe disso por experiência própria: ela cria um são-bernardo que foi rejeitado pela antiga dona aos seis meses de idade. "Ele já era enorme, mas um 'bebê' ainda. A dona não aguentou a bagunça em casa", diz.

Por isso, paciência é algo fundamental pra quem quer ter a companhia de um animal em casa. Segundo a veterinária, um cão leva cerca de 15 dias para reconhecer que você é o dono dele e a responder aos seus comandos. Em três meses, ele já deve estar adaptado ao ambiente e obedecer as regras impostas a ele. "Qualquer pessoa pode ensinar regras para o animal", diz Fabiana. Porém, se a situação foge de controle, o ideal é procurar a ajuda do veterinário ou de um adestrador.

Um fator importante a ser levado em conta é custo mensal para um cão de pequeno porte, os mais procurados - em média, de R$ 150, valor que já inclui gastos com ração, banho e tosa.

Além do lado financeiro, existe a questão do tempo que a pessoa tem para se dedicar ao animal. "Não adianta deixá-lo trancado o dia todo dentro de casa e só brincar com ele à noite", diz. O ideal é que o cão saia pelo menos duas vezes por dia para passear e fazer suas necessidades na rua.

Para quem mora em apartamento e tem pouco espaço, são indicados cães menores e, de preferência, ADOTAR UM CÃO ADULTO, que já possui um temperamento definido, não rói e destrói as coisas e costumam já ser educados com relação às necessidades fisiológoas. Já quem dispõem de um espaço maior pode arriscar a ter cães maiores.

Mas em todos os casos, é fundamental ter em mente que um animalzinho precisa de mais do que alimentação, espaço e cuidados. Precisa PRINCIPALMENTE de muito AMOR e RESPEITO!!

A dica de Fabiana para evitar a atitude extrema de abandonar o cão é simples - embora quase ninguém faça isso na hora de adotar um animalzinho de estimação. "Converse com um veterinário. Conheça os hábitos dos animais e tenha em mente qual tipo de companhia você quer ter em casa", afirma.

* No caso de animais adotados pelo site, converse bem com o protetor responsável para obter informações sobre o temperamento do animal. Os protetores serão sempre muito prestativos, pois a maior alegria para eles é encaminhar seus resgatados para LARES amoroso e responsáveis!

Fonte: Época (*comentários em destaque adicionados pelo site Adote Bicho - www.adotebicho.com.br)

 

*** Pode ser copiado à vontade, basta citar a fonte ***